quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Rapidinha


Pessoal, só mais um post para "dar as caras". Neste final de semana devo voltar para casa, daí as coisas tendem a se normalizar. Novamente, obrigado a todos pelas manifestações de apoio que tenho recebido. Aos poucos, as coisas voltam ao seu devido lugar. Como curiosidade, esta foto acima é a vista da porta da minha casa, para a rua aonde moro. O sofá vermelho que aparece _era_ o meu. O azul é do vizinho...

O espaço entre a cerca de ferro e o local da foto era coberto por brita. Ali está com uns 20 cms de altura de lodo.

Foi tirada dois dias após a enxurrada. A visão parecia um pós-guerra, uma cidade bombardeada. Coisa de filme mesmo.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Sobrevivi!

Estou vivo.. e bem. Peguei enxurrada na minha casa, perdi um monte de coisas e ainda não consegui voltar para lá direito. Quando a vida voltar ao normal, voltarei a publicar novos posts.. e também umas fotos e mais detalhes do que aconteceu comigo na enchente/enxurrada/desmoronamentos que ocorreram aqui em Blumenau.

Obrigado a todos pelo apoio e pela paciência.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Metendo a mão: Acer Aspire One


Ontem tive a oportunidade de utilizar um Acer Aspire One. Trata-se de um destes novos netbooks, que começaram a invadir o mercado depois do lançamento do Asus EEE PC.

Sua configuração é a seguinte:

Processador Intel Atom 1.6 GHz
512 MB RAM
8GB Memória Flash
Tela de 8.9", resolução de 1024 x 600
900gr de peso
Webcam
3 portas USB
2 leitores de cartão SD
Wireless
Ethernet
Saída de monitor externo
Bateria de 3 células, com autonomia de 3 horas (segundo o fabricante)
Sistema operacional Linux

Confesso que fui utilizar a máquina totalmente desacreditado. 512MB? "HD" Flash? Humm.. Achei que seria bem lenta, fraca.. Me enganei totalmente. Errei feio.

A máquina é muito boa! Em 20 segs ela já fez o boot todo e está pronta para uso. A imagem é muito nítida. O pacote de aplicativos que vem pré-instalado é básico, mas bem completo para uma utilização "padrão": Firefox 2, um Messenger-clone, leitor de RSS, OpenOffice 2 completo, calculadora, calendário, alguns jogos, visualizador de fotos e um media player.

Tudo funciona perfeitamente. Estes aplicativos + o linux ocupam 3.5GB do disco Flash, restando 4.5 GB para dados. Como músicas e fotos ocupam muito espaço, estes 4.5 GB parecem pouca coisa. Uma solução inteligente adotada pela Acer foi fazer um dos leitores SD como se fosse uma extensão do disco Flash, ou seja: Se colocar mais um cartão SD de 4GB no leitor, é como se o disco Flash passasse a ter 12 GB! Já ajuda... :-) Se precisar de mais espaço, ainda tem o outro leitor SD e mais as portas USB, para ligar HD externo ou pendrive.

O adaptador Wireless é muito bom! O meu note captava o sinal em 48%, enquanto que o Acer One captava com 89%, no mesmo local!

A placa de vídeo é uma Intel 945G Express. Não é top de linha, mas faz bem o seu trabalho.

A primeira impressão do teclado é que ele é pequeno demais.. mas não passa de impressão mesmo. Dá para digitar tranquilamente. O touchpad é meio estranho. Os botões não estão abaixo dele, como todos os outros touchpads. Eles estão dispostos lateralmente. Deve ser por falta de espaço mesmo. É estranho, mas não chega a atrapalhar.

Em suma: Se você usa o micro apenas para navegar na internet, ouvir músicas, armazenar fotos e utilizar uma suíte Office, dá para considerar seriamente mesmo a aquisição de uma máquina destas. Leve, portátil, bateria com boa durabilidade, boa performance...

Gostei mesmo. Fiquei impressionado.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

MythTV vem com nova interface


MythTV é uma distribuição Linux que é concorrente do Windows Media Center. Ou seja: É focado para ser utilizado ligado a uma TV/Projetor, como peça central de uma central de mídia completa: Exibir filmes, fotos, música, assistir/gravar TV, etc..

Suas principais funcionalidades são estas (retiradas do site oficial):

  • Basic 'live-tv' functionality. Pause/Fast Forward/Rewind "live" TV.
  • Support for multiple tuner cards and multiple simultaneous recordings.
  • Distributed architecture allowing multiple recording machines and multiple playback machines on the same network, completely transparent to the user.
  • Compresses video in software using rtjpeg (from Nuppelvideo) or mpeg4 (from libavcodec). Full support for Hardware MPEG-2 encoder cards (Hauppauge PVR-250 / PVR-350). Preliminary support for DVB cards and the new pcHDTV tuner card.
  • Support for the (very nice looking) hardware MPEG-2 decoder and TV out present on the Hauppauge PVR-350.
  • Completely automatic commercial detection/skipping
  • Grabs program information using xmltv.
  • A fully themeable menu to tie it all together.
Agora este site aqui já trouxe umas imagens e uma reportagem sobre a nova versão do MythTV, com uma interface remodelada. Show de bola.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Site oferece efeitos sonoros grátis

Se você precisa de alguns efeitos sonoros para fazer um vídeo, uma apresentação ou mesmo para usar como toque de celular, dê uma olhada no site Soundsnap.com.

Ele possui mais de 50.000 arquivos gratuitos com os mais diversos sons, divididos em categorias, como: Animais, multimídia, esportes, ficção científica, natureza, etc..

Fonte: Lifehacker.

Aprenda outros idiomas pela internet (e de graça)!

O site One Minute Languages oferece gratuitamente pequenos cursos de introdução à vários idiomas, alguns bem fora dos padrões aqui pra gente, como Catalão, Norueguês, "Luxemburguês" (nada a ver com o técnico do Palmeiras), Mandarin e Polonês e também os mais comuns, como francês, inglês, japonês, alemão e espanhol.

São cursos muito simples, muito básicos, mas ao menos servem para dar uma "desemburrada" básica para se ter uma idéia do idioma e, se for o caso, procurar alguma instituição de ensino especializada.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Interrogatório do Coringa

Já faz tempo que o (ótimo) filme do Cavaleiro das trevas passou no cinema. E logo deve estar chegando a versão em DVD. Enquanto isto, curta esta hilária versão da cena do interrogatório do Coringa.

Google Chrome para Linux está a caminho

Segundo esta notícia da cnet, o pessoal que desenvolve o Chrome postou uma mensagem na lista de desenvolvedores Chromium dizendo que o Gmail já funciona no Chrome para Linux. É um começo.

Nesta minha mudança de Windows para Linux, perdi o Chrome, que usava direto no Windows. Vou esperar para ver como é esta versão para Linux e, de repente, passarei a utilizá-la.

Fonte: cnet.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Como "executar" um BPMN?

Tenho pensado muito a respeito disto: Como ir do BPMN ao BPEL? E, uma vez tendo o BPEL feito, como fica o sincronismo entre os dois diagramas?

Lendo muitos posts de outros blogs e alguns artigos, cheguei às seguintes conclusões:

  • O BPMN é uma notação que surgiu, essencialmente, para fazer a ponte entre o analista de negócios e o analista de sistemas, entre o especialista de processos e o especialista em TI. Não para ser algo que saia executando diretamente. Isto é uma visão distorcida dele. E algumas ferramentas do mercado estão indo para este caminho.
    O problema de se fazer isto é que o diagrama BPMN em si não tem todas as informações para ser executado diretamente. Para resolver isto, acaba-se adicionando informações mais técnicas, mais focadas na execução do mesmo. Com isto o diagrama deixa de ser uma visão do processo feita por um especialista e acaba virando um diagrama para execução, normalmente fugindo do padrão da especificação e se enchendo de tags específicas para um determinado fabricante da engine de execução.
  • BPMN e BPEL tem diferenças semânticas de linguagem. Certas estruturas do BPMN não possuem equivalente em BPEL e vice-versa. Logo, fazer um "round-trip" entre eles é uma tarefa extremamente complexa. Na maioria dos casos, inviável (ao menos de uma forma direta, sem intervenção humana). Algumas ferramentas, como o Business Modeler da IBM, geram o BPEL a partir do BPMN. Mas, se não me engano, funciona meio que como uma exportação: ele gera um esqueleto de um BPEL e a partir daí você fica "por conta". O especialista em TI vai terminar o fluxo e colocá-lo em produção. Mas quando o processo alterar e precisar mexer no BPEL, como isto será feito? Altera-se o BPMN, exporta novamente para BPEL e termina o desenho? Ou alteram-se o BPMN e o BPEL, separadamente? Complicado, não? Dar manutenção em dois modelos que representam o mesmo processo e que ao mesmo tempo são distintos...
Em suma, ainda não sei como fica isto. Se alguém tiver alguma experiência prática para compartilhar, ou algum comentário, fique à vontade.

Ainda não vi nenhuma empresa utilizando BPMN + BPEL direto, em produção. Vi muitas teorias, mas queria ter visto ao menos um caso de sucesso.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Engine de Javascript

Uma das coisas mais impressionantes que vi quando instalei o Chrome foi a performance de execução de Javascript. Este diferencial dele parece que vai ter uma bela concorrência pela frente, com a chegada do TraceMonkey (engine de Javascript do Firefox 3.1).

O pessoal do Lifehacker fez uns testes e benchmarks com ele, inclusive comparando-o com o V8 (engine de Javascript do Chrome).

Vale a leitura, ainda mais que é algo que pode impactar em qualquer pessoa que acessa a web.

O artigo completo está aqui.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Jubileu de prata do Windows hoje!


"Jubileu de prata" foi do fundo do baú... :-) Para quem não sabe, são 25 anos (jubileu de ouro são 50). Há 25 anos atrás o Bill Gates apresentava sua versão 1.0 do Windows, dizendo que 90% dos computadores do mundo o estariam utilizando.

Impressionante que, bem ou mal, acabou acertando este número...

E outra coisa também impressionante, é que ele foi apresentado há 25 anos atrás, mas só chegou ao mercado 2 anos depois. A MS já usa esta técnica há mais de 25 anos, pelo jeito.

De qualquer forma, parabéns para ele. Juntamente com o PC, mudou o mundo...

A matéria completa está aqui.

Fonte: Gizmodo

sábado, 8 de novembro de 2008

Controlando o Windows com gestures

Voltei! :-)

Gosto muito de interfaces "alternativas", como usar o wiimote para comandar o micro, etc..

Um funcionário da Microsoft Research criou este interface por gestos, totalmente controlada por uma webcam (daquelas comuns mesmo) e um software feito por ele.

O vídeo está aí embaixo.



E a reportagem completa está aqui.

Fonte: Gizmodo

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

A velha briga de sempre: Reutilizar código ou escrever do zero?

Este post aqui traz à tona uma velha discussão: O que é melhor: utilizar código pronto (um framework open-source, por exemplo), ou escrever tudo a partir do zero?

Interessante é ver os comentários do post. Neste momento, são 420 comentários... pra você ver que o assunto ainda é polêmico e está longe de ser um consenso..

E você, o que acha? Já teve alguma experiência boa? Ou ruim? Coloca aí nos comentários :-)

Fonte: slashdot

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Você sabia?

Interessante vídeo, com resultados das pesquisas de Karl Fisch, Scott McLeod e Jeff Bronman, com números relacionados a tecnologia e evolução.



fonte: UOL Mais.

Certificação SOA

Com tantas certificações existentes no mercado, estava na hora de começar as primeiras certificações para SOA. Este post aqui fala sobre 3 certificações existentes (ao menos nos Estados Unidos, não sei se estão disponíveis aqui no Brasil): da IBM, da BEA e da ZapThink (nunca tinha ouvido falar desta última).

Enquanto as duas primeiras certificações citadas acima acabam focando mais nos seus produtos, a da ZapThink é totalmente agnóstica (tecnologicamente falando), focada apenas em SOA mesmo.

O post completo você encontra aqui, com mais descrições sobre cada uma das certificações.

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Microsoft x Inovação 2 - A revanche

Lembra deste post aqui? Não sou só eu que acha que a MS inova muito pouco. O pessoal da Techradar também acha isto. Mas, para tentar mostrar o contrário, fizeram esta entrevista com Rick Rashid, que trabalha no Microsoft Research há 17 anos.

Ele mostra 7 projetos inovadores da Microsoft. Até que tem umas coisas interessantes. Mas, pelo porte da empresa, ainda acho que inovam pouco...

Fonte: Techradar

Executando programas do Windows, no Linux

Um dos "problemas" que eu teria aqui, mudando de Windows para Linux, eram os programas que obrigatoriamente tenho que executar no meu trabalho: O Internet Explorer (por causa do cliente ActiveX do MS-Project) e o Outlook (por causa da parte de agenda/calendário, porque o email daria para ser utilizado em outro client, sem problemas).

A primeira opção seria utilizá-los dentro da VM do VirtualBox. Mas, convenhamos, seria um saco. Coincidentemente, na semana passada, a CodeWeavers estava distribuindo gratuitamente licenças do seu produto: o CrossOver. Eu cadastrei meu email e recebi meu número de série "de grátis"! :-)

O CrossOver é uma versão paga e com mais recursos, do Wine. Para quem não sabe: o Wine é uma implementação nativa pro Linux, da API do Windows. Ou seja: os programas do Window executam diretamente no Linux.

Instalei o Outlook 2003 e o Internet Explorer aqui e eles funcionam normalmente. Parece que estou no Windows.

Não são todos os programas que funcionam corretamente, no site da CodeWeavers tem uma lista de compatibilidade. Mas, a princípio, o Office está ok. Instalei até o Office 2007 e ele funcionou nos testes básicos.

Vale a pena. Cada vez menos programas restam para serem executados dentro da VM do XP. Daqui a pouco não precisarei mais dela.

O Linux que instalei


Bom, agora com (quase) tudo funcionando aqui, vou repassar um pouco das minhas impressões:

  • Instalei o Mandriva, não o Ubuntu. A-Ha! Enganei todo mundo! hehehe. O Mandriva é a união do antigo Conectiva com o Mandrake. É uma boa distribuição, tão atualizada quanto o Ubuntu 8.10, que saiu na semana passada, mas acho que tem um visual mais bonito.
  • Por falar em visual, que espetáculo! O Gnome com o Compiz 3D fica um show! Dá um baile no Aero, do Vista. Rápido, leve e bonito. Talvez o Windows 7 consiga chegar neste nível. O Vista não conseguiu.
  • O Eclipse e o Java ficam muito leves. Bem mais leves e rápidos que no Windows. A diferença é brutal.
  • Me parece que o Linux utiliza melhor a rede, os downloads parecem ser mais rápidos. Talvez seja só impressão, mas agora os downloads aqui em casa batem nos 100 Kbps (ADSL de 1 MB). O XP não chegava lá.
  • Já falei do visual 3D? Um espetáculo :-)
  • A rede wireless também funcionou de primeira.
  • Estou usando o XP dentro de uma máquina virtual do VirtualBox. Também funciona redondo. Compartilhando os arquivos entre Windows e Linux através do Samba. Rede também ok.
No geral, estou gostando bastante. A máquina roda bem mais leve, rápida e bonita.

Tem algumas coisas que ainda não estão 100%:
  • Suporte a dual monitor (monitor externo). Não consegui fazer isto funcionar direito ainda. Mas também não tentei muito.
  • Ter que ficar digitando a senha da rede wireless toda vez que chego no serviço ou em casa, pois são redes diferentes. Deveria ter algum esquema para poder cadastrar mais de uma rede, como o Windows.
  • Não consegui fazer uma impressora remota funcionar de jeito nenhum. Cadastrei ela, aparece como ok, mando imprimir, mas não sai nada.
A luta continua! :-)

domingo, 2 de novembro de 2008

Voltando...

Voltei.. 1o post feito com o Linux :-). Tá indo. Rede instalada, Samba funcionando, VM (com o VirtualBox) funcionando com o XP... agora é terminar de instalar tudo e ver o que vai dar. Amanhã retorno ao ritmo normal de postagens.

sábado, 1 de novembro de 2008

Vai começar a mudança

É agora! Terminei o backup de tudo que precisava aqui da minha máquina. Agora é dar adeus ao XP e instalar o Ubuntu. Vamos ver o que vai dar... Se tudo der certo, final do dia volto para contar a situação. :-)

O XP deve ficar apenas para alguns programas muito específicos, rodando em uma VM.

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Outro blog de BPMN

Outro excelente blog, focado em BPMN e BPEL, mantido por Keith Swenson, vice-presidente de pesquisa e desenvolvimento da Fujitsu Computer Systems Corporation.

Acesse aqui: Go Flow.

Faça seu próprio poster

Este site aqui, o BlockPosters, transforma qualquer imagem em um poster. É bem fácil: você faz o upload da imagem, seleciona o tamanho que você quer o poster e baixa um PDF com as páginas para você imprimir. 

Simples, prático e funcional.

Aqui tem uma galeria de imagens bem bacanas.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

BPEL - Explicando melhor

Neste post aqui, eu já falei um pouco o que é BPEL. BPEL -e a sigla para Business Process Execution Language (tá, tá... já falei isto). Repare no "Execution Language", ou seja: é uma linguagem de execução de processos de negócio.

Ao contrário do BPMN, que apenas modela e representa o negócio, o arquivo BPEL é um arquivo que é executado diretamente pela engine BPEL. A engine lê o arquivo e sai executando.

É como se fosse um script, mas é XML. Xiii.. agora piorou! É... piorou. É ruim, é praticamente ilegível para seres humanos (até dá, mas não é fácil). Veja este exemplo abaixo. Ele inicia no "receive", atribui o valor recebido através do "Assign". Depois chama um webservice e aguarda o retorno (o "Invoke" e o "Receive") e finalmente retorna o valor para quem iniciou o fluxo. Ou seja: Não faz praticamente nada... :-) 

E olha só o fonte dele:


Complicado, não? Vou falar novamente sobre BPEL, este post era apenas para explicar com um pouco mais de detalhes.

Software copia chaves (de verdade) através de fotos!

Pesquisadores da Universidade de San Diego - California, desenvolveram um programa que consegue duplicar uma chave apenas utilizando uma foto dela. 

Em um dos testes, bateram uma foto com uma câmera a aproximadamente 200 pés (que são uns 61 metros), e conseguiram duplicar as chaves! Impressionante!

Veja a matéria completa aqui.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Asus busca sugestões para novos notebooks

A Asus e a Intel se juntaram e lançaram o WePC, um site no qual você é encorajado a compartilhar idéias, sugestões e designs para notebooks e computadores de mesa. Eles querem ouvir o mercado e criar computadores mais próximos das necessidades dos consumidores.

E também dão prêmios para as melhores sugestões. É interessante...


terça-feira, 28 de outubro de 2008

100 posts!

Este foi o 101o. post! Consegui uma 1a meta, que era chegar aos 100. Até que foi rápido, apenas 37 dias. O que dá uma média de 2.7 posts por dia. :-)

Aproveitando, vou compartilhar com vocês alguns números do blog:

Navegadores:

  • Firefox: 41,54%
  • Internet Explorer: 38,08%
  • Chrome: 14,36%
  • Opera: 3,85%
  • Safari: 1,54%
Sistemas Operacionais:

  • Windows: 98,33%
  • Linux: 3,85%
  • Macintosh: 2,31%
  • SunOS: 0,13%
  • SymbianOS: 0,13
  • iPhone: 0,13%
iPhone? SymbianOS? UAU! :-)

Visitantes de 39 países!

15 visitas usaram dial-up para conexão (1,6%)

Obrigado a todos pelo apoio. E vamos em frente!

Primeiras impressões do Windows 7

Mais uma direto da PDC - Professional Developers Conference - da Microsoft (não, não estou lá.. só vendo as notícias ;-)) : Primeiras impressões, screenshots e vídeos do Windows 7.

Pelo visto, o Seven deve ser a versão final do Vista, hehehe. Tem tudo aquilo que foi prometido pro Vista e um pouco mais.

O que eu percebi em todas as análises é que foi unanimidade a estabilidade do sistema. Não deixa de ser uma boa surpresa. Resta ver se continua assim até a liberação. Será que isto já é reflexo do novo processo de desenvolvimento utilizado?

E também foi demonstrado rodando em um notebook "mono core" com apenas 1 GB de RAM, com boa performance. Segundo a MS, ele vai ocupar bem menos memória que o Vista.

Bom, a análise completa está aqui.

Fonte: Gizmodo.

Microsoft vai lançar versões on-line do Office


A Microsoft anunciou hoje na PDC (Conferência de desenvolvedores) que vai lançar uma versão on-line da sua suíte de aplicativos de escritório, para enfrentar a concorrência do Google Docs.

Serão 4 aplicativos: Word, Excel, PowerPoint e OneNote, com versões mais leves em relação aos aplicativos nativos do Windows. Eles serão feitos em HTML e AJAX, e também com o Silverlight. 

A Microsoft já possui o Office online (que é o site oficial do Office, com templates e exemplos para download), o Microsoft Office Live Workspace (que permite compartilhar arquivos do Office pela web). Estes aplicativos devem se chamar "Office Web Applications". Tá quase faltando nome... :-)

O artigo original está aqui.

Fonte: ReadWriteWeb.

Concorrente do One Note


Lembram que eu falei sobre o Microsoft OneNote neste post aqui? Pois é, continuo gostando dele. Mas neste final de semana vou instalar o Ubuntu na minha máquina e com isto não iria mais poder utilizar o OneNote direto. 

Como vou continuar executando o XP dentro de uma VM, teria ele funcionando, mas não é a mesma coisa. Mas meus problemas terminaram! :-)

Existe um equivalente do OneNote para o Linux: O Basket! Ele parece ser bem semelhante mesmo. O negócio agora é usar e ver como funciona.

O site oficial dele é este.

Se alguém já usou ou conhece, compartilhe suas impressões aqui nos comentários.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Nova loja da Amazon. Que visual!


Eu só fui ver hoje, mas já está no ar há alguns dias a versão beta de uma nova loja da Amazon, a WindowsShop. Muito legal a interface, toda em 3D e com navegação com as setas. Cada item da loja mostra um vídeo, uma música ou um pedaço de um livro (dependendo do item selecionado).

Muito bacana. Finalmente uma nova forma de se navegar por uma loja online.

Gostou? Então coloque nos comentários a sua opinião! :-)

domingo, 26 de outubro de 2008

Contagem regressiva para o novo Ubuntu


A nova versão do Ubuntu sairá nesta semana. 

Para quem não conhece, o Ubuntu é uma das distribuições "top" do Linux, mais focada para usuários desktop (apesar de também ter uma versão servidor, a mais famosa mesmo é a desktop).

A nova versão vem com versões novas do Kernel do Linux, do GNOME e do Xfree.org, entre outros. Eu estou esperando esta versão sair para instalá-la aqui na minha máquina :-)

Porque BPEL não é o cálice sagrado do BPM

Neste excelente artigo, o autor fala entre as diferenças conceituais e estruturais entre o BPMN e o BPEL. Basicamente, fala que produzir um BPEL legível a partir de um BPMN é uma tarefa árdua e, às vezes, impossível. 

E, em alguns casos extremos, o BPEL simplesmente não é um espelho do processo desenhado, acaba ficando um processo diferente.

O artigo realmente apresenta alguns pontos interessantes, pois, por experiência própria, pegar um BPMN e desenhar um BPEL "no braço" é muito improdutivo e complexo. E o artigo reforça justamente isto.

Fonte: InfoQ.


sábado, 25 de outubro de 2008

Aprenda BPM jogando!

Agora que você acompanhou o tutorial e sabe tudo sobre BPMN (menos, menos, hehehe), que tal praticar um pouco disto brincando?

A IBM lançou um jogo 3D que simula todo o levantamento de dados, modelagem de processos "as-is"(situação atual), detecção de gargalos, métricas, melhorias de processo, simulações de cenários, monitoramento em tempo real, etc...  Enfim, passa por várias fases do trabalho de análise e melhoria de processos.



O site oficial do jogo, com mais explicações e link para download é este aqui.

[Atualizada] Algumas pessoas não estão conseguindo efetuar o download do programa. Além de ter um IBM ID (ser cadastrado no site da IBM), precisa se cadastrar no IBM Academic Initiative. Para se cadastrar no IBM Academic Initiative precisa fazer parte do mundo acadêmico ou então de alguma organização que defina standards (padrões).

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

O Kernel do Linux passou de 10 milhões de linhas

Por falar em contagem de linhas de código, fizeram uma contagem das linhas do Kernel do Linux 2.6.27 e chegaram a mais de 10 milhões de linhas. Mas esta foi uma contagem simples.

Utilizando o SLOCCount, obtiveram 6.399.191 linhas (foram retirados os comentários, linhas em branco, etc..). Destas linhas, 96,4% foram escritos em C e 3.3% foram escritos em Assembler.

Para um programinha que começou com um estudante publicando o fonte na internet, não é nada mal... :-)

Contando as linhas de código de um sistema

Se você já precisou saber quantas linhas de código existem em um fonte, sabe o quanto isto é complexo. Parece fácil, mas não é, não. Veja o fonte abaixo:

//Seta o valor do Código de cliente
public void setCodCli(int codCli) {
  this.codCli = codcli;
}

//Obtém o valor do Código de cliente
public int getCodCli() {
   return codcli;
}

Quantas linhas de código "de verdade" têm o código acima?

Se você respondeu 6, acertou. Um contagem simples de linhas daria 9 (6 de código, 2 de comentário e uma em branco entre elas), mas este não é o número correto de linhas de código fonte.

Para fazer esta contagem, existe um programa chamado SLOCCount. Feito para Linux, ele entende a sintaxe de 27 linguagens diferentes, contando de forma correta as linhas de cada uma delas.

Se você estiver usando Windows, vai ter que instalar o Cygwin para executá-lo.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Google Android Market está no ar

Ontem, junto com o lançamento do T-Mobile G1 (já falei dele aqui) a Google colocou no ar o site do Android Market. É mais ou menos o equivalente da AppStore da Apple, para o IPhone. Ao contrário do IPhone, o G1 permite a instalação de aplicativos que não foram comprados na loja "oficial".

Mas, se você quiser, ela existe e já conta com aproximadamente 50 aplicativos. Nada mal para um celular que tem um dia de vida. :-)

Todos os aplicativos disponíveis lá são gratuitos. A partir da próxima segunda-feira, os desenvolvedores poderão fazer upload dos seus aplicativos após pagar uma taxa de 25 dólares. E a partir do ano que vem a Google vai permitir que os desenvolvedores vendam seus programas através do Android Market.

Vai ganhar muito dinheiro... Mais ainda.

Aplicativos para o Pendrive


Taí um site/aplicativo legal: Portable Apps. No site você encontra o download do aplicativo principal, que abre um menu como se fosse o menu Iniciar do Windows. E lá você também encontra vários aplicativos feitos especificamente para utilização em pendrives. 

Tem muita coisa boa lá: GIMP portable (para edição de imagens), todo o OpenOffice.org, o Mozilla Thunderbird (leitor de emails), o Mozilla Browser, o aMSN (clone do Messenger), etc.. Todos eles executando e armazenando dados diretamente do pendrive, sem instalar nada no computador e sem deixar nenhum rastro por lá. 

Teu ambiente fica exatamente igual em qualquer máquina. Muito legal.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

10 formas de se comprovar que não é SOA

Joe McKendrick, colunista da ZDNet, escreveu o seguinte artigo no seu blog, o qual faço uma tradução livre abaixo.

  1. Se algum vendedor te disser que você precisa comprar uma suíte para ter SOA.. então não é SOA.   SOA significa total liberdade de suítes e pacotes de aplicativos.
  2. Se algum vendedor estiver tentando te vender algum hardware para ter SOA.. então não é SOA. Já diz tudo...
  3. Se você fica mandando pedidos por e-mail ou fazendo ligações para descobrir quais serviços existem... então não é SOA. Registries e repositórios são essenciais para descoberta e validação de serviços.
  4. Se ninguém está compartilhando serviços... então não é SOA. Você pode ter todos os serviços que você precisa, mas se os serviços ficam isolados em silos, então são apenas serviços em silos mesmo.
  5. Se os desenvolvedores e integradores não são incentivados ou persuadidos e reutilizar serviços e interfaces... então não é SOA. Sem incentivos, eles vão continuar desenvolvendo seus próprios serviços.
  6. Se o seu CIO não tem a menor idéia do que acontece com os serviços, se eles estão sendo ou não compartilhados... então não é SOA. Para funcionar corretamente, estruturas SOA-Based devem abranger todos os setores da empresa, e é necessário apoio gerencial para que isto aconteça. Do contrário, voltamos aos serviços em silos.
  7. Se o pessoal de TI está comandando todo o show... então não é SOA. Desculpem, pessoal de TI, mas SOA necessita de um alto envolvimento do pessoal de negócios também.
  8. Se é compatível apenas com um Sistema Operacional ou plataforma... então não é SOA. SOA não tem nada a ver com apenas um Sistema Operacional.
  9. Se a implantação é uma réplica de outra de SOA de algum outro local... então não é SOA. Cada companhia tem seus próprios processos e requisitos de negócio, então duas implementações SOA não serão iguais.
  10. Se você teve que re-escrever ou reprojetar fontes para fazer as coisas funcionarem corretamente... então não é SOA. SOA pressupõe que re-escrever o código deve ser desnecessário.
É lógico que não existe o SOA perfeito... o importante é a empresa se orientar para o mundo SOA em algum nível.

Meus comentários: 

Discordo de alguns itens acima:
  • Do item 8 (apenas um Sistema Operacional): Posso ter tudo executando em apenas um Sistema Operacional e atender 100% SOA.
  • Do item 10 (Se re-escrever, não é SOA): deste eu discordo fortemente. Em muitos casos, acho que na maioria deles, se não mexer no código vou ter apenas um sistema SOA-Enabled (SOA compatível apenas). Para ser SOA-Based (um SOA "de verdade") quase certamente precisarei re-escrever os programas de acordo com a nova arquitetura. Não se esqueça nunca: O "A" de SOA é de Arquitetura! 

Utilidade: Oferta de Emprego

A Karolina Silva, da SeedTS, me pediu para anunciar uma oportunidade de emprego. Então, lá vai:

Consultor Desenvolvedor BPEL
Consultoria especializada em SOA/Java/Oracle em franca expansão, oferece uma oportunidade para quem está buscando trabalhar com tecnologia de ponta em um ambiente dinâmico e desafiador:

Requisitos: 
Bons conhecimentos em:
- Análise orientada a serviços;
- BPEL;
- Java nos seguintes frameworks: Struts, Spring, JPA, JSF
- EJB (2.x e 3.0).

Desejável: 
- Experiência como instrutor, 
- Disponibilidade para viagens. 

Diferencial: 
- Inglês avançado, 
- Certificações.

Escopo de atividades: 
- Desenvolvimento de sistemas e aplicações em geral. 

Oferece-se: 
Desafios constantes, grande oportunidade de crescimento profissional e aprimoramento técnico, plano de carreira e participação nos lucros. 

Local de trabalho: São Paulo (predominantemente).
Contrato de trabalho por prazo indeterminado.
Interessados enviarem CV para: karolina.silva@seedts.com ou rh@seedts.com

terça-feira, 21 de outubro de 2008

A verdadeira baboseira

Finalmente revelada a legítima baboseira:



Aloe vera (sin. A. barbadensis Mill., A. vulgaris Lam.)

Isto mesmo.. um pé de babosa: uma baboseira. :-)

Java SE 6 Update 10 lançado hoje!

Dia agitado hoje..

Foi lançado também hoje (depois de mais de um ano em versão beta) o novo update do Java SE 6, o décimo update. Este update, apesar de ser um "minor release", quase merecia ser chamado de "major release".  Confira abaixo a lista de novidades (não todas, mas as principais):
  • O foco desta versão é para o lado cliente, para aplicações desktop. 
  • Um novo plugin para Browsers
  • Melhor suporte a applets (parece que a Sun está querendo ressuscitá-los)
  • Suporte a JavaFX
  • Mais facilidade para atualizações de versão do Java
O download está aqui. Have fun!

Google abriu o código-fonte do Android!

Hoje a Google resolveu abrir o código fonte do Android! Boa parte do código é sob licença Apache 2.0. 

Interessante que eles fizeram um esquema meio parecido com a Eclipse Foundation, no qual você adquire uma licença de desenvolvedor individual ou corporativo. 

O que eu imagino é o que será que vem pela frente... Será que os grandes fabricantes vão ter as suas próprias versões do Android? Teremos o Android Nokia, MotoAndroid :-), Android LG, Android Samsung?

Vai ser legal ficar de olho e ver como isto vai evoluir. E qual o impacto disto sobre o Windows Mobile.

O site oficial do Android open-source é este.

Abaixo um vídeo de introdução ao projeto Android open-source






segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Certas coisas não funcionam bem juntas

Fonte: GeekAndPoke

O que é BPEL

A sigla “BPEL” significa Business Process Execution Language. O BPEL teve suas origens nos padrões WSFL e XLANG, e é apoiado por grandes nomes da indústria, como IBM, Microsoft, BEA, SAP, Siebel e Oracle. Este padrão basicamente especifica o formato de um arquivo XML, que contém as definições do workflow.Os webservices podem ser combinados de duas maneiras:


  • Orquestração
  • Coreografia

Na orquestração, que normalmente é utilizada em processos de negócios privados, um processo central (que também pode ser um webservice) assume o controle dos webservices participantes e coordena a execução dos diferentes métodos dos webservices envolvidos no processo. Os webservices envolvidos não “sabem” (e nem precisam saber) que eles estão envolvidos na composição de um processo e que fazem parte de um processo de negócio de mais alto nível. Apenas o coordenador central do processo sabe o objetivo final do processo, então a orquestração é centralizada através de definições explícitas das operações e da ordem de chamada dos webservices envolvidos.


A coreografia, por outro lado, não possui a figura de um coordenador central. Logo, cada webservice envolvido no processo sabe quando deve ser executado e conhece os demais webservices participantes (não necessariamente todos os participantes, mas pelo menos os quais interage diretamente). Coreografia é um esforço colaborativo baseado na troca de mensagens em processos públicos. Todos os participantes da coreografia se preocupam com o processo de negócio, operações a serem executadas, mensagens a serem trocadas e qual a ordem de troca destas mensagens.

Da perspectiva da composição de webservices para processos de negócios, a orquestração é um paradigma muito mais flexível e possui as seguintes vantagens em relação à coreografia:

  • A coordenação dos componentes do processo é centralizada em um coordenador conhecido.
  • Webservices podem ser adicionados sem eles saberem que fazem parte de um processo maior de negócios.
  • Cenários alternativos podem ser facilmente projetados.
  • Alterações no fluxo de processo podem ser feitas sem alterações nos códigos dos webservices.
As engines de BPEL suportam a orquestração de processos. 

domingo, 19 de outubro de 2008

Tutorial BPMN - Final

Saideira. Hoje veremos os eventos de Fim de Fluxo. Basicamente, nada de novo. Apenas indica se o fluxo termina enviando uma Mensagem, lançando uma exceção, etc...
Sem mistérios.

Bom, pessoal, era isto... O Tutorial não tinha a pretensão de ensinar tudo sobre BPMN (até porque isto só vem com o uso e a experiência). A idéia era apenas dar uma visão geral. Agora é começar a praticar e ver na prática qual o nível de detalhe você vai modelar, quais informações você vai precisar descrever nas atividades e por aí vai. 

Aqui só estão as "letras", aprender a juntá-las e formar palavras com sentido é com você.

Protesto contra Ferrari

Depois da corrida da China, que aconteceu esta madrugada (aliás, corrida bem sem graça.. não aconteceu nada de emocionante), ficou muito difícil para o Felipe Massa ficar campeão. Não impossível, mas está muito complicado.

A situação dele estaria muito melhor agora se a Ferrari não tivesse feito tanta besteira durante o campeonato. Em Mônaco errou a escolha dos pneus, em Cingapura (aquela noturna) foi aquela confusão com o reabastecimento, na Hungria o carro parou a três voltas do final do que seria uma vitória fácil do Massa (foto abaixo) ... enfim, poderia já estar bem mais sossegado.


Então entre você também nesta campanha: NÃO COMPRE CARROS DA FERRARI! Eu já estou fazendo a minha parte. :-)

sábado, 18 de outubro de 2008

Você acha que sabe jogar Tetris?

Então está na hora de rever os seus conceitos. Este japonês aí do vídeo é impressionante. Depois dos 3 minutos de jogo, você nem vê mais as peças caindo. Elas se "materializam" direto lá embaixo. E mesmo assim ele consegue continuar jogando e fechando linhas.

É o próprio Ninja Tetris :-)


Processo de desenvolvimento do Windows 7

Este post foi feito por um desenvolvedor da Microsoft, que trabalha lá desde meados dos anos 80. De todo o time de desenvolvimento do Windows, apenas 3 pessoas estão trabalhando lá há mais tempo que ele. Ele participou do desenvolvimento de praticamente todas as versões do Windows.

No post citado, ele compara as diferenças do processo de desenvolvimento entre o Vista e o Windows 7. É meio extenso, mas é interessante ver como eles mudaram a forma para tentar fazer builds mais estáveis desde o começo.

Vale a leitura.

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Novo framework RIA liberado


Dia 15 de outubro foi liberada a versão 1.o do framework Pivot Toolkit para desenvolvimento de aplicações ricas para internet (RIA). Este toolkit começou como um projeto desenvolvido pela VMWare, e acabou se transformando em uma aplicação open-source. 

Não cheguei a testar este framework, mas achei bem interessante.

Segundo o site oficial, as novidades da versão 1.0 são as seguintes:

The Pivot development team is happy to announce the relase of Pivot 1.0. This release includes a number of improvements over the preview release announced in June, many of which were proposed or built by developers who joined the project after the initial announcement:

  • A new, optimized WTKX loader that uses StAX rather than DOM to parse the XML source
  • A new package supporting visual effects and animated transitions
  • Improved localization support that allows developers to define resources using hierarchical, UTF-8 based JSON files rather than flat, ISO 8859 Java properties files
  • New components:
    • Menus, menu bars, and menu buttons
    • Spinners
    • Mac OSX-like property sheets
    • Google Maps-like panorama-style scroll panes
    • Tool palette windows
  • A new charting library based on JFreeChart that is fully integrated with Pivot's data model classes
  • Support for custom color schemes in the default "Terra" look and feel package
  • "Pivot Explorer", a Firebug-like debugging tool
  • Improved documentation
  • Numerous bug fixes and performance improvements

Show de bola: Screensaver de F1 multi-display

Se você é fissurado por Fórmula 1 como eu, vai achar muito legal este screensaver, feito pela Intel Brasil. É um circuito de F1 virtual composto por 17 computadores rodando de forma sincronizada. Assista o vídeo abaixo para ver isto funcionando. Muito bacana.




E o legal é que você pode baixar e rodar no seu escritório, ou em casa, ou na escola, etc...

O link para a reportagem completa está aqui.

Fonte: Gizmodo

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Review do T-Mobile G1 Google Android Phone


Este link aqui tem um review muito legal do T-Mobile G1 (acima). Na análise fizeram pequenas críticas ao teclado do aparelho, e ainda à falta de aplicativos para o Android.

Os aplicativos de terceiros que vem junto com o aparelho ainda são muito fracos. Mas isto deve mudar rapidamente, com o lançamento de mais aparelhos no mercado e com mais gente desenvolvendo aplicações. O Android em si foi muito elogiado, sendo considerado bonito e estável.

Por US$ 179,00 (20 dólares a menos que um iPhone), é uma boa opção. Para os americanos, porque para nós aqui ele teria um preço absurdo. É só ver o preço que o iPhone é vendido por aqui...

Fonte: Gizmodo

Microsoft planeja liberar o SP2 do Vista antes do Windows 7

Segundo esta notícia aqui, a Microsoft planeja lançar o Service Pack 2 do Windows Vista antes do Windows 7. Praticamente nada foi divulgado a respeito do que virá neste pacote. Segundo um dos membros do time do Vista, "aguarde mais novidades nos próximos meses".

Eu não utilizo o Vista. Fiquei no XP e acho que foi uma ótima opção. Fica leve nesta máquina e não apresenta nenhuma incompatibilidade ou comportamento maluco... Mas se você utiliza o Vista, este SP2 pode ser uma boa notícia.

Fonte: ZDNet

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Microsoft vai adicionar instant-on no Windows?


Parece que a Microsoft está pensando em adicionar o recurso de instant-on na próxima versão do Windows (que segundo ela, oficialmente vai se chamar Windows 7 mesmo). Uma recente pesquisa foi feita com usuários do Windows, aleatoriamente.

Instant-on é um recurso que existe em algumas máquinas com Linux, como esta aqui, por exemplo. Ele permite que funcionalidades básicas fiquem disponíveis muito rapidamente, sem esperar o boot completo do sistema. Por funcionalidades básicas entenda-se acesso a rede, browser, chat, skype, etc...

Para este recurso funcionar corretamente, precisa do apoio de fabricantes de hardware, pois requer suporte na placa-mãe. 

A matéria completa está aqui.

Fonte: Gizmodo.

Somente 3 pessoas andaram sobre a água...

Somente 3 pessoas andaram sobre a água:

  • Jesus Cristo
  • Pedro 
  • e... (não, não foi o Chuck Norris) TONHO!

Quem é o Tonho? Este cara aí embaixo:

(Desculpas sinceras se ofendi alguém.. Mas esta eu não resisti :-) E o fotógrafo foi muito feliz na foto. Pegou o momento exato)

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Visualizador de email USB


Esta é para os fissurados por email, que não conseguem ficar um dia sem verificar suas contas. Este dispositivo USB checa suas contas e acende para indicar que um novo email foi recebido. E também pode ser configurado para mudar de cor conforme a quantidade de emails não lidos. Quanto mais vermelho, mais emails novos não lidos existem. Coisa para fanáticos mesmo. Ou para quem gosta de chamar a atenção.

A matéria completa está aqui.

Tutorial BPMN - Parte 9

É, pessoal.. Está quase terminando. Hoje vamos continuar vendo os eventos, que iniciamos na parte 8. Hoje veremos os eventos intermediários. Os tipos de eventos intermediários existentes são estes:


Basicamente, são os mesmos que os eventos iniciais, com dois tipos a mais: tratamento de erros e de compensação. Tratar compensação significa que alguma ação deve ser feita para desfazer o que foi feito anteriormente, dentro de um processo, em caso de erro.

Imagine um processo venda de dois passos: o 1o. passo é conectar na operadora de cartão de crédito e fazer o débito e o segundo passo é fazer a venda. Quando o cliente comprou, foi feito o débito do cartão corretamente, mas aconteceu um erro na venda (não havia mais nenhum produto em estoque, por exemplo). Neste caso, deve ser efetuada a compensação daquele débito do cartão de crédito. A compensação de um débito de cartão de crédito é fazer um outro lançamento, desta vez de crédito, no mesmo valor do débito. 

Note que a lógica da compensação varia conforme o negócio. Em alguns casos pode ser excluir o lançamento anterior, em outros pode ser fazer um novo lançamento (como o exemplo acima) e em outros casos pode ser substituir um valor adicionado em um saldo, etc...

Voltando ao BPMN: Os eventos intermediários, quando colocados entre as tarefas, representam fatos que podem ocorrer entre as tarefas. Tanto podem ser de entrada (receber uma mensagem, por exemplo), quanto de saída (enviar uma mensagem).


Quando os eventos intermediários estão anexados às tarefas, significa que a tarefa deve ser interrompida caso o evento seja acionado. Veja o exemplo abaixo, em que a tarefa é interrompida caso não receba o evento de confirmação em 2 dias.

Por hoje era isto. Estamos quase terminando o tutorial...

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Pare de se esconder atrás do seu papel e faça o serviço!

O título acima é bem polêmico mesmo. É de um artigo de um blog de tecnologia, em inglês, cujo original está aqui.

Um pequeno trecho dele, com um diálogo hipotético (mas nem tanto :-)) que ocorre com esta divisão de papéis:

Let me give you an example. Tell me if you've heard this one before.
Bob the Business Stakeholder: "The XYZ marketing system project is running late and over budget, what's the deal?"
Pam the Project Manager (looks at project plan): "The build out of the MQ platform is on the critical path and it is taking longer than expected."
Bob the Business Stakeholder: "What's MQ?"
Pam the PM: "I don't really know, I think it's a messaging platform."
Bob the Business Stakeholder: "What's a messaging platform?"
Pam the PM (with a slight smile): "I don't know. See, I don't understand all this technology stuff. I'm a project manager. Let's ask the architect."
Bob the Business Stakeholder: "Art what's a messaging platform."
Art the Architect: "It's a system that allows one application to send and receive data from another application"
Bob the Business Stakeholder: "Why is it taking so long?"
Art the Architect: "Define 'long'? It will get done when we get it finished, we're moving as fast as we can. I don't look at the project plan. I just get my work done. I'm an architect, not a fortune teller."
Bob the Business Stakeholder: "What system do we need to get data from."
Art the Architect: "The CRM system. We need to pull customer address data from that system."
Bob the Business Stakeholder: "But that's just a tidbit of info we have on one screen, it's not even that important."
Art the Architect: "Hey it was in the requirements document. Talk to Benny the Business Analyst"
Bob the Business Stakeholder: "Wait but. . ."
Benny the BA (pokes his head through the meeting room door): "You told me you wanted it so I wrote it in the use case. You signed it!"

É extenso, mas é interessante... 

25 anos de celular hoje

Hoje uma das invenções mais amadas (e mais odiadas) da humanidade faz 25 anos. Há exatos 25 anos atrás foi efetuada a primeira ligação comercial a partir de um telefone celular. O executivo da Ameritech, Bob Barnett, ligou para o neto de Alexander Graham Bell a partir de um Motorola DynaTAC 8000X (é este tijolo aí embaixo):


Nesta matéria aqui você encontra mais detalhes, inclusive uma linha do tempo com os principais acontecimentos da história dos celulares, nestes 25 anos.

Fonte: Gizmodo.

domingo, 12 de outubro de 2008

Early Access do JavaME SDK 3.0

Dia 10 de outubro a Sun liberou uma versão prévia do SDK do Java Micro Edition (JavaME). Segundo o próprio site da Sun, estas são as novidades da versão:

"Java ME Platform SDK is a state-of-the-art toolbox for developing mobile applications. It integrates CLDC, CDC and Blu-ray Disc Java (BD-J) technology into one SDK. Java ME SDK 3.0 is the successor to the popular Java Wireless Toolkit 2.5.2 and Java Toolkit 1.0 for CDC. It provides device emulation, a standalone development environment and a set of utilities for rapid development of Java ME applications.

Key Features
  • Integration with 3rd party emulators and Windows Mobile devices
  • On-device deployment and on-device debugging
  • CLDC/MIDP, CDC/FP/PBP/AGUI and BD-J integrated into one SDK
  • New CLDC HotSpot Virtual Machine
  • Optimized MSA 1.1 stack with extensions
  • Profiling support
  • BD-J support
  • New development environment based on Netbeans Platform
  • Lightweight UI Toolkit (LWUIT) integration
  • Device search database integrated in SDK
Download aqui.

Achando as cores corretas


Mais uma da série "Pequenos programas para auxiliar os webdesigners de fim de semana": Instant Eyedropper. É um pequeno programa que fica residente na barra de tarefas do Windows. Daí basta você arrastá-lo sobre a tela, para obter exatamente a cor do pixel que você precisa. 

Muito melhor que ficar fazendo printscreen, e colar a imagem dentro de um editor gráfico para daí obter a cor correta.

Totalmente "de grátis"!

WOW: Isto é que é vício!

Conforme esta matéria aqui, o dono deste arsenal acima é totalmente fissurado pelo World of Warcraft (será? :-)). Ele joga em 36 contas simultâneamente. E diz que gasta $5.700 dólares por ano só com o jogo. 

E planeja comprar 36 cópias da expansão Wrath of the Lich King quando for lançada.

Fonte: Gizmodo.

sábado, 11 de outubro de 2008

Software legalizado

Olha, é caro, ainda mais agora com uma crise batendo à porta, mas é muito bom. Software legalizado é muito bom. Atualizações, acesso a conteúdo exclusivo, suporte, etc...

 

Todo o software que tenho aqui na minha máquina é legalizado. Basicamente, tenho o Windows e o Office 2007 apenas como software pago. O resto é freeware ou open-source: Java, Eclipse, Jboss, Tomcat, Chrome, Firefox, Picasa, Foxit Reader...

 

Eu usava o OpenOffice também, mas por questões profissionais, tive que instalar o Office 2007. Aliás, esta versão do Office está muito boa. Foi realmente uma melhora no Office como há muito tempo a MS não fazia.

 

A Microsoft está com uma promoção para venda do Office 2007 versão Home & Student. Ela vem com o Word, Excel, Power Point e OneNote (falei do OneNote no post anterior. Confira) . Custa R$ 199,00 para 3 licenças. Ou seja: R$ 66,00 por cada licença. Não fica tão caro assim.


Se você quiser conferir, clique aqui.

 

Se esta política fosse extendida a mais produtos da MS, e até por mais fornecedores, muito mais gente teria produtos originais que, sem a menor dúvida, valem muito a pena.

Office one note - impressões



Conforme o prometido, vou passar minhas impressões sobre o One Note, produto que faz parte das versões Home & Student e Enterprise do Office 2007.

À primeira vista, instalei este programa e não dei muita bola. Um dia resolvi dar uma atenção para ele e ver o que ele fazia. E não é que ele é muito bacana? Sério... surpreendentemente bacana.

Imagine uma folha de papel em branco, na qual você tem liberdade total para escrever. "Certo, o Word faz isto também, grande coisa!" você pode estar pensando. Mas não é a mesma coisa. Aqui, ao contrário do Word, você não está restrito aos formatos de parágrafos, cabeçalhos, etc.. é uma folha em branco MESMO, com total liberdade para você escrever e/ou desenhar.

"Certo, então eu poderia fazer a mesma coisa com um editor gráfico qualquer, até o Paint dava conta". Não, também não é a mesma coisa (não falei que este programa era criativo?).  Este programa mistura funcionalidades de um editor de textos, um editor gráfico e até mesmo uma planilha simples.

Ele é utilíssimo para anotar as suas idéias e atas de reuniões, anotar listas, fazer operações matemáticas simples, desenhos, guardar imagens, cartões de visitas (scaneados), etc..

Enfim, um faz-tudo. Ele trabalha no formato de blocos de anotações e páginas. Assim você pode facilmente organizar as suas informações por assunto. Os blocos de anotações inclusive podem ser compartilhados, tornando-o uma ferramenta poderosa para trabalho em grupo.

Mais algumas funcionalidades legais:

  • Calculadora: Digite a operação matemática que você quiser e tecle a barra de espaço logo após o sinal de "=", que o OneNote faz a conta automaticamente para você. Por exemplo: 23 + sin(12)=23,20791169081776. E isto pode ser feito no meio de qualquer texto, não precisa ser em alguma célula ou em algum espaço especial. Digite a conta, coloque o sinal de "=" e tecle espaço. Pronto, só isto.
  • Tabelas: Também é tão simples quanto a calculadora: Digite um texto qualquer e pressione "tab", automaticamente o OneNote começa a formatar uma tabela. Se você digitar outro texto e pressionar "tab" de novo, outra coluna é criada, e assim sucessivamente. Pressione "enter" dentro da tabela e o OneNote cria uma linha vazia. Mais simples impossível. Veja a imagem abaixo de uma tabela criada assim:
  • A parte de pesquisa dentro das anotações é um caso à parte. Ele pesquisa por textos até dentro das imagens! Se eu pesquisar por "Java", por exemplo, e tiver alguma foto que tenha um cartaz com a palavra "Java", ele acha! Muito bom.
Tem várias outras funcionalidades, ele faz muita coisa. Estou utilizando-o direto. 

Uma demonstração dele, em Flash, você acha aqui.

Steve Ballmer no Brasil


O Presidente-executivo da Microsoft vem ao Brasil especialmente para ser o keynote na abertura da Tech-Ed 2008, em São Paulo. O Tech-ed é um evento promovido pela Microsoft para desenvolvedores e profissionais de TI, que realizar-se-á de 14 a 16 de outubro de 2008, no Expo Transamérica em São Paulo.

Site oficial aqui.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

OpenOffice.org 3.0 versão final lançada! Extra! Extra!

Extra! Extra! Segunda-feira será lançada a versão final do OpenOffice.org 3.0. Mas, de acordo com este artigo aqui, você já pode baixá-lo hoje e passar o final de semana todo testando as novas funcionalidades. :-)

Wikipedia unifica sua estrutura com Ubuntu

Segundo este artigo, a wikipedia está terminando a migração dos seus 400 servidores (UAU!) para o Linux Ubuntu. Atualmente, estão usando um mix de Ubuntu, Red Hat e Fedora. Desde 2006 estão fazendo a migração para o Ubuntu, que deve se concretizar nos próximos meses.

Como estava complicado lidar com um ambiente heterogêneo (apesar de ser tudo Linux), eles avaliaram e escolheram o Ubuntu Server como sendo a melhor opção.

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Linux Mandriva 2009 lançado hoje

Hoje a Conectiva, ops, a Mandriva lançou a nova versão da sua distribuição de Linux. Entre as principais novidades temos:

- KDE 4.1.12
- GNOME 2.24
- OpenOffice.org 3.0
- Firefox 3.0
- Linux Kernel 2.6.27
- Melhor suporte a hardware, principalmente novos modelos de Notebooks
- Re-design do Instalador e da Central de Controle.

Uma coisa é inegável: O KDE novo é muito bonito, como você pode conferir aqui.

Mais detalhes da nova versão aqui.


Tutorial BPMN - Parte 8

Hoje veremos com mais detalhes os eventos de início de um fluxo. Existem várias formas de se iniciar um fluxo. Na imagem anexa vocês podem ver os diversos tipos de eventos:



- None (nenhum): Serve para indicar um início de um sub-processo, ou então quando o início do processo não é definido por nenhum dos outros tipos de evento de início que veremos a seguir.

- Message (mensagem): Indica que o fluxo somente inicia quando uma determinada mensagem é recebida. Por exemplo: "Novo usuário incluído".

- Timer (temporizador): Indica que o fluxo inicia após um determinado tempo ter passado, ou quando chegar uma determinada hora específica.

- Rule (Regra): Indica que o fluxo inicia quando uma determinada condição é atingida. Por exemplo: "100 pedidos incluídos", "Temperatura maior que 35 graus".

- Link (ligação): Basicamente, liga o final de um fluxo ao início de outro. Normalmente é utilizado quando mais de um processo tem o mesmo pai (o pai termina e inicia os dois filhos, por exemplo).

- Multiple (múltiplos): Indica que existem várias maneiras de se iniciar o fluxo, mas basta apenas uma delas para que o fluxo se inicie. Junto ao elemento de início, deve-se colocar a lista de "triggers" que farão o fluxo iniciar. Por exemplo: Message: "Novo usuário incluído", Rule: "Mais que 10 pedidos pendentes".

Continua...

Sony PSP utilizado como segundo monitor

É sério. Como vocês podem comprovar nesta notícia aqui, um sujeito transformou o seu PSP em um monitor auxiliar para PC, com resolução de 960 x 544 (nem é tão ruim assim). Não acho muito prático, mas é interessante.

Fonte: Gizmodo.

Para afastar os fantasmas


Com o fantasma da crise se aproximando, nada melhor do que uma arma para combatê-lo, então, aproveite e compre o seu Ecto-1 original dos Caça-Fantasmas! Está para vender lá no eBay, por 45.000 dólares (por enquanto)...

A notícia completa está aqui.

Fonte: Gizmodo.

De volta à ativa

Como você pode ver, a internet voltou! :-)

Nem o técnico da Brasil telecom descobriu o quê aconteceu. Na hora do almoço hoje ainda não conectava. Quando o técnico veio dar uma olhada, ligou e funcionou.. Sei lá. Nada como o mundo exato da tecnologia...

Só esclarecendo..

Ontem a Brasil Telecom fez o favor de me deixar sem acesso à internet em casa. O modem ficava tentando sincronizar direto, e não conseguia. Abri um chamado e eles deve arrumar isto hoje. Por isto ontem foram uns posts meio atípicos, sem notícias em geral.

Hoje deve voltar ao normal.

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Microsoft x Inovação

Este post vai ser polêmico. Tem gente que vai aplaudir, tem gente que vai querer me bater.Lá vai: Eu acho que a Microsoft não inventa nada (no mínimo, não inova). Calma, calma.. Deixa eu tentar explicar melhor.

Ela é muito competente em pegar alguma idéia que está vingando no mercado e fazê-la do seu jeito. Colocar uma interface bonita, lançar integrada ao Windows, muitas vezes até de graça.
Alguns exemplos da minha teoria:

Windows, inspirado no Mac OS
Excel, inspirado no Lotus 1-2-3
Word, inspirado no WordPerfect
Internet Explorer, inspirado no Netscape
MSN Messenger, inspirado no ICQ
Windows Media Player, inspirado no Winamp

O Lotus 1-2-3 e o WordPerfect eram líderes de mercado, até aparecer o Windows e, logo depois, o Office. Tá certo que eles não conseguiram acompanhar a MS (convenhamos, com aquela grana toda da MS não é fácil acompanhá-la), e a pirataria rolando solta, acabou fazendo com que o Office fosse o padrão "de-fato" do mercado.

O Internet Explorer foi um pivô de uma das maiores brigas que já vi na área de TI, inclusive com um email famoso do Bill Gates dizendo que o Internet Explorer tinha que vencer esta batalha, quase que redirecionando a empresa toda para fazer produtos para a Internet.

O Messenger foi um exemplo de um produto que era pior que o ICQ quando foi lançado, mas devido ao fato de já estar integrado ao Windows, todo mundo já tinha ele instalado, blá, blá, blá, acabou ganhando o mercado.

O Windows Media Player era terrível. O Winamp dava um baile nele. Para falar a verdade, até hoje o Windows Media Player é muito criticado. Mas não dá para negar que ele está muito mais próximo do Winamp, e muito mais decente.

O próprio Windows tem muita coisa do MacOS...

Para não dizer que não lembro de nada que a MS tenha realmente inventado, tem o "One Note". Este é bacana, diferente. Vou escrever sobre ele em outro post. Ao menos este eu acho que ela inventou, não vi nada parecido de outro fornecedor.

É inegável que ela tem competência, senão não estaria aonde está, mas não acho ela uma companhia inovadora. Me parece que as empresas menores, mais criativas, criam um produto novo. E a MS espera ele se consolidar. Quando ele começa a ganhar mercado, a MS faz a "versão dela" do produto, muitas vezes levando a empresa criadora do produto à falência...

Alguém lembra de algum produto inovador realmente criado pela Microsoft? Se lembrar, coloque aí nos comentários...

Blog de SOA?

Tem gente que me pergunta: "Mas este não é um blog de SOA?". É... Em termos. O motivador inicial dele foi SOA mesmo (até o nome foi um trocadilho em cima disto - se o trocadilho ficou bom ou não é outro papo :-)). E falo de SOA, tanto que tem o tutorial de BPMN, alguns posts sobre o que é SOA, níveis de adoção de SOA, teste de webservices, etc.. Mas como vivo em um meio formado por pessoas que trabalham e gostam de tecnologia, e eu me incluo nisto, acabo vendo vários assuntos.

Achei que seria interessante falar destes vários assuntos também, pois é o meu dia-a-dia. E também das pessoas que fazem o favor de ler este blog, para me deixar contente. :-)

Resumindo: o motivador e pano de fundo do blog é SOA, mas não é (e nem vai ser) o único assunto. Beleza?

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Air Guitar para o Wii

Depois das guitarras para jogar Guitar Hero, agora saiu a "Air Guitar"! 

Este jogo, mesmo sem guitarra nenhuma, só nos botões do controle, já é extremamente viciante. Com guitarra (ou semelhantes, como esta da imagem), deve ser para perder a vida social por um tempo. :-)

A notícia completa está aqui.

Fonte: Gizmodo

O Microsoft Surface SDK será lançado este mês


A Microsoft vai disponibilizar o SDK para o desenvolvimento de "Surface Applications" para alguns poucos desenvolvedores selecionados. 

Para quem não sabe do que se trata, dá uma olhada na imagem em anexo. É meio como a interface do "Minority Report", mas na horizontal :-)

Se o pessoal for criativo, dá para inventar algumas coisas bem legais.

A notícia completa está aqui.

Fonte: Gizmodo

Testando webservices

Testar um webservice pode ser um problema. Ou você faz um JUnit com algum client de webservice (uma aplicação com um Axis da vida), ou pode utilizar um programa como o SoapUI.

É uma mão na roda para testar webservices: basta passar o endereço do arquivo WSDL (local ou remoto, direto do servidor) que ele cria automaticamente uma requisição para cada método do serviço.

E ainda possui recursos para testar carga de dados, stress, throughput, etc.. Quem desenvolve serviços, tem que usar este programa.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

LWUIT - Intro

Lembra que eu falei do LWUIT neste post? Pois a SUN resolveu publicar uma introdução e exemplos de utilização neste artigo aqui. Se você ficou interessado, esta leitura é obrigatória para ter uma idéia do funcionamento dele.

Isto é que é tela de LED

Só podia ser em Dubai mesmo. Lá está sendo construído o maior painel de LED do mundo, com 33 andares de altura! E não é só isto: O fabricante ainda diz que o painel não vai tampar a visão dos escritórios que estão junto ao painel. 

Mais um motivo para dar umas voltas por lá, hehehe

A notícia completa está aqui.

Fonte: Gizmodo

A vida como ela é

É... acontece.. :-)

Fonte: Geek and poke

domingo, 5 de outubro de 2008

Tutorial BPMN - Parte 7

Conforme o combinado, segue a 7a parte do nosso tutorial. Hoje vamos falar de um novo elemento da notação: o Subprocesso. Ele é representado por um símbolo muito semelhante ao de atividade, só que com um sinal de mais ("+") dentro. 

Normalmente é utilizado para tornar mais simples alguns diagramas que são muito complexos. Por questões de clareza agrupa-se atividades em um subprocesso, deixando o diagrama mais limpo. Ao se clicar no sinal de mais, o subprocesso é expandido. Veja o exemplo abaixo, de um diagrama fictício de solicitação de empréstimo:

A aprovação do empréstimo em si é um subprocesso dentro do processo todo de solicitação. Ao expandir o subprocesso de aprovação, aparece o seguinte diagrama:

Note que o subprocesso de aprovação possui  início, meio e fim, que ele é independente do processo que o chamou, não fazendo nenhuma referência ao processo principal. Isto é uma boa característica de um subprocesso, permitindo inclusive o seu reúso.

Por hoje era isto. Aguarde a 8a parte, porque ainda não mostrei todos os elementos do BPMN.